segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Saindo do casulo


Borboleta saindo do casulo
Ainda não sabe o que à espera.
Fora do casulo ela é ainda mais frágil
Porém assume seu posto de borboleta
E assim deve ser.
Borboleta olha ao redor
Mundo imenso
Tantos horizontes
Perdida entre as flores procurando algo
Que a faça ser borboleta de verdade
Bate as asas mas não sabe para onde voar
Ah! Borboleta não quer mais o casulo
Borboleta não pode mais voltar para lá
Ela é colorida e pode voar para qualquer lugar
Por um instante se esquece que pode bater suas asas
E há tantos perigos no caminho...
Mas ela esperou tanto tempo
Foi ali no casulo que se transformou
É hora de compreender que há bem mais além do que ela vê
Ela deixou agora o que lhe escondia
Então, bata suas asas borboleta
Vá até onde puder
Vá para o infinito...

Jussara Augusta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário